Toriba – ensaios fotográficos

TORIBA – Ensaios Fotográficos é um livro-conceito de arte, predominantemente ilustrado

Toriba

Incluindo 120 imagens, entremeadas por leve texto sobre a cidade de Campos do Jordão e o mais clássico hotel da região, o livro de arte Toriba – ensaios fotográficos será lançando na segunda-feira (20) em São Paulo. A obra marca os 75 anos do Hotel Toriba. Inaugurado por Ernesto Diederichsen e Luiz Dumont Villares, a propriedade é um marco na história do turismo e na cultura de Campos do Jordão, recebendo gerações de famílias paulistanas, cariocas e de outros estados do país.

Cassio Vasconcelos, Cristiano Mascaro, Delfim Martins, Du Zuppani e Tuca Reinés trilharam o território do hotel e suas terras em busca da captura do espírito do local, ícone da hotelaria de montanha. O resultado é sensível e único, enfatizando também o estilo e a assinatura de cada um dos experientes fotógrafos. A narrativa em imagens transita pela história de Campos do Jordão e do hotel, mostrando como a mesma construção e o entorno podem ser tão diferentemente vivenciados e percebidos quando fotografados por cinco profissionais de características diversas.

A Metalivros, editora pela qual a obra nasce, é também responsável pela publicação do primeiro livro em torno do o hotel: O Toriba na Cultura de Campos do Jordão, lançado em 2007. Em Toriba – ensaios fotográficos os colaboradores foram escolhidos a dedo por Ronaldo Graça Couto, editor da obra. Se cada fotógrafo possui marca nitidamente particular, em conjunto, desenham um panorama amplo e belo, como um álbum de experiências individuais, que juntas formam o caráter coletivo desta obra, para ser percorrida, guardada e, periodicamente, revisitada.

O lançamento do livro ocorre na próxima segunda-feira (20), com momento para autógrafos no Lounge One do Shopping JK Iguatemi. O evento marca também o início da exposição de 25 imagens assinadas que integram o livro, cuidadosamente selecionadas e ampliadas. As fotografias podem ser apreciadas pelo público em geral entre 21 de agosto e 2 de setembro, no Hall Concierge do shopping, em paralelo a badalada 12ª edição SP-Arte/Foto.

‘TORIBA – Ensaios Fotográficos’ é um livro-conceito de arte, predominantemente ilustrado, sobre o significado qualitativo da experiência visual que se pode vivenciar ao se hospedar ou visitar suas instalações. Cinco fotógrafos: Cássio Vasconcellos, Cristiano Mascaro, Delfim Martins, Du Zuppani e Tuca Reinés percorreram todas as áreas internas e outras vizinhas ao hotel, e registraram clicks de alguns dos tantos e variadas trações turísticas da região, retratando a Pedra do Baú, o Museu Felícia Leirner, o Auditório Claudio Santoro, o Tarundu, o Horto Florestal, a ferrovia alto montana, a mais elevada do Brasil. O resultado, depois de editado é apresentado neste livro e nos transportam ao universo do Toriba com a marca especial dos olhares de cada fotógrafo.

Ficha:
Editora: METALIVROS
ISBN: 858220017X
ISBN13: 9788582200179
Edição: 1ª Edição – 2017
Número de Páginas: 144
Acabamento: ENCADERNADO
Formato: 29.00 x 30.00 cm.
R$ 90,00

COMPRAR

Contato
Metalivros
(11) 3672-0355
http://www.metalivros.com.br



 

Anúncios

Deleuze, imagem-movimento e imagem-tempo

Cinema 1 – A filosofia francesa sempre deu contribuições notáveis para a reflexão estética. Se Merleau-Ponty modificou nossa visão da pintura de Cézanne,

Deleuze

e Sartre nosso entendimento da literatura de Flaubert, Gilles Deleuze realiza nos dois volumes que dedicou ao cinema o mais impressionante esforço filosófico para a compreensão da arte por excelência do século XX. Em Cinema 1 — A imagem-movimento, Deleuze cria novos conceitos a partir das ideias pioneiras de Bergson e da semiótica de Pierce. A argumentação, porém, nunca perde de vista o específico das escolas e dos estilos cinematográficos e, sobretudo, os filmes eles próprios. O arco de diretores é amplo e reúne gigantes como Chaplin, Eisenstein, Ford, Bergman e Hitchcock, passando por expoentes da vanguarda como Viértov e Michael Snow. Continuar lendo

Como fazer uma cidade boa

O autor de Cidades Para Pessoas abre sua caixa de ferramentas e oferece um guia completo de como pensar e estudar as cidades contemporâneas

Jan Gehl

Após décadas estudando e construindo uma metodologia inteiramente voltada à sustentabilidade e ao bem-estar nas cidades contemporâneas, Jan Gehl, junto com Birgitte Svarre, revela e debate, neste livro, as influências, os estudos, os procedimentos que o levaram a se tornar um dos mais respeitados e procurados urbanistas da atualidade.

Consultores e autores de muitas das mais relevantes intervenções em ambiente urbano – em metrópoles e cidades de todas as regiões do planeta –, Gehl e Svarre mostram quais as chaves para transformar cidades em cidades boas para as pessoas.

Ao perceber que o ambiente da cidade influenciava o estado de ânimo de seus moradores e de todas as pessoas que por ela transitavam, Jan Gehl passou a estudar e desenvolver técnicas para lidar com o impacto psicológico das várias situações que encontrava nas cidades que visitava. Simultaneamente, pesquisava as origens e as críticas dos modelos urbanísticos que resultavam em cidades caóticas e estressantes, e daquelas que eram muito mais amistosas.
>>>Leia+Mais

Comunismo de Bini Adamczak

Comunismo para crianças não se destina exatamente às crianças

Bini Adamczak

A linguagem que simula e parodia as histórias infantis está a serviço de uma caracterização crítica e muitas vezes ácida do funcionamento da economia capitalista contemporânea. Sua publicação nos Estados Unidos, em 2017, provocou polêmica, pois houve quem atacasse a autora, Bini Adamczak, de promover a doutrinação de jovens.

Ao expor como a organização do trabalho e a exploração dos trabalhadores alimentam o capital e o sofrimento causado pelo sistema, Adamczak constrói, no entanto, uma breve história do capitalismo e de sua contraparte utópica, o comunismo, por meio de situações e exemplos imaginários, mas muito familiares aos que vivem no mundo globalizado.
>>>Leia+Mais

Dominação e resistência de Luis Felipe Miguel

Em Dominação e resistência, Luis Felipe Miguel apresenta uma ampla discussão sobre o sentido da democracia e sua relação com os padrões de dominação presentes na sociedade

Luis Felipe Miguel

Professor do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasilia (UnB), Miguel defende que a ordem democrática liberal não pode ser entendida como a efetiva realização dos valores que promete, pois a igualdade entre os cidadãos, a possibilidade de influenciar as decisões coletivas e a capacidade de desfrutar de direitos são sensíveis às múltiplas assimetrias que vigoram na sociedade. Porém, tampouco pode ser lida segundo a crítica convencional às “liberdades formais” e à “democracia burguesa”, que a apresenta como mera fachada desprovida de qualquer sentido real.

A conclusão é que a democracia não é um ponto de chegada, e sim um momento de um conflito que se manifesta como sendo entre aqueles que desejam domá-la, tornando-a compatível com uma reprodução incontestada das assimetrias sociais, e quem, ao contrário, pretende usá-la para aprofundar contradições e avançar no combate às desigualdades. “O conflito na democracia é um conflito também sobre o sentido da democracia, isto é, sobre quanto ela pode se realizar no mundo real como projeto emancipatório e quanto as instituições vigentes contribuem para promovê-la ou para refreá-la”.
>>>Leia+Mais

Territórios em conflito

Territórios em conflito, de Raquel Rolnik, é um livro sobre o passado, o presente e o futuro de São Paulo, cidade-mundo de 20 milhões de habitantes

Um dos principais nomes do urbanismo brasileiro, Raquel Rolnik apresenta, em linguagem simples e direta, os conflitos, temas e opções políticas que definiram a história da metrópole, desde sua fundação até hoje.

Apesar de ser um poderoso polo econômico, financeiro e cultural, São Paulo é marcada pela pobreza, pela desigualdade e pela incerteza quanto a seu futuro. Ao refletir sobre a trajetória da cidade, a autora aponta caminhos para que se possa construir, aqui e agora, um lugar melhor e mais justo.
>>>Leia+Mais