Sob o Signo da Lua

De dois em dois anos, no calor do Verão, rumam à raia milhares de pessoas de todos os países e culturas. Juntam-se no Boom Festival, com uma sensualidade psicodélica ao som da música trance

Valter Vinagre

Valter Vinagre acompanhou esses encontros mágicos, retratando o lugar e os seus habitantes, as suas construções, desejos e sonhos. Este livro fixa a convulsão desses momentos numa ordem possível, propondo a redescoberta dos olhares e dos corpos num outro espaço e tempo. Os textos de António Guerreiro e Joaquim Moreno decodificam as imagens e a organização hermética do livro, oferecendo a quem os lê alguns fios para se perderem e encontrarem nos labirintos da imaginação.

O livro de Valter Vinagre, Sob o Signo da Lua, tem despertado a atenção da crítica e dos leitores. O texto Sobre os corpos e a paisagem, o erotismo da vida de José Marmeleira dá sinal desse interesse e recolhe frases do fotógrafo que explicam o contexto e as expectativas com que levou a cabo trabalho que a Dafne Editora publicou. O livro, além das imagens, conta com dois textos que exploram os sentidos desse olhar, da autoria de Joaquim Moreno e António Guerreiro.

Valter Vinagre (Avelãs de Caminho, 1954) iniciou o seu percurso como fotógrafo em finais dos anos 1980. Dos seus  trabalhos salientam-se: Cá na terra (1998), Animais de estimação (2010), Barra das Almas (2013), Posto de trabalho (2015) ou A voz na cabeça (2016). De início conotado com uma fotografia próxima do registro documental, o seu trabalho passou a interiorizar um exercício mais reflexivo sobre a imagem, criando discursos sobre os significados associados à paisagem, à viagem e ao lugar da cidade.

Ficha
Sob o Signo da Lua
Valter Vinagre
Dimensões: 240p., 17,5×24,5
Edição: Dafne Editora
Data: Julho de 2018
DL: 441937/18
ISBN: 978-989-8217-43-1
Design: João Faria / Drop
Preço: Trinta euros / Comprar

Contato:
Dafne Editora
Livros de arquitectura
+351 22 200 55 79
dafne@dafne.pt
http://dafne.pt

 



 

Anúncios

Vale tudo menos tirar olhos

Associação Ether / vale tudo menos tirar olhos marcou a cultura fotográfica em Portugal nas décadas de 1980 e 1990

O livro, um requintado volume com mais de trezentas páginas, conta a história da associação cultural Ether/vale tudo menos tirar olhos, cuja actividade ficou indelevelmente associada à galeria de exposições de fotografia que funcionou em Lisboa entre 1982 e 1994. A Ether foi um espaço fulcral na consolidação da fotografia portuguesa, abrindo espaço a novas gerações de fotógrafos, assim como construindo a história da fotografia em Portugal que ainda estava por inventar. Continuar lendo

Toriba – ensaios fotográficos

TORIBA – Ensaios Fotográficos é um livro-conceito de arte, predominantemente ilustrado

Toriba

Incluindo 120 imagens, entremeadas por leve texto sobre a cidade de Campos do Jordão e o mais clássico hotel da região, o livro de arte Toriba – ensaios fotográficos será lançando na segunda-feira (20) em São Paulo. A obra marca os 75 anos do Hotel Toriba. Inaugurado por Ernesto Diederichsen e Luiz Dumont Villares, a propriedade é um marco na história do turismo e na cultura de Campos do Jordão, recebendo gerações de famílias paulistanas, cariocas e de outros estados do país.

Cassio Vasconcelos, Cristiano Mascaro, Delfim Martins, Du Zuppani e Tuca Reinés trilharam o território do hotel e suas terras em busca da captura do espírito do local, ícone da hotelaria de montanha. O resultado é sensível e único, enfatizando também o estilo e a assinatura de cada um dos experientes fotógrafos. A narrativa em imagens transita pela história de Campos do Jordão e do hotel, mostrando como a mesma construção e o entorno podem ser tão diferentemente vivenciados e percebidos quando fotografados por cinco profissionais de características diversas. Continuar lendo